Ser Teu DONO...

Ser Teu  DONO...
Ser teu dono é passear pela tua alma como se fosse o meu jardim, é colher teus humores. Ser teu dono é tomar de assalto os teus desejos, inventar teu gozo, submeter tua memória. Ser teu dono é conduzir teus espasmos, é aprisionar voce dentro da tua alma. È inventar tua alma, encontrar dentro de voce o desejo que sempre esteve lá, e voce nunca viu. Ser teu dono é desenhar o teu destino. Sim, vai doer.
sadico@uol.com.br

B D S M

***

Quem sou eu

Eu e tua alma...

Eu e tua alma...
Teu corpo é facil de ter, sei onde moram teus desejos, sei onde buscar tuas dores e prazeres. Mas eu quero mais, quero tua alma; quero possuir teus anseios, tuas virtudes, teus medos. Quero antecipar tuas paixões, adivinhar teus encantamentos.Quero tua boca sêca, teus olhos mareados,teu coração aos pulos, apenas com a lembrança.Quero teus segredos nús ao meu olhar indiscreto.Eu sei e voce sabe que voce só é se for em mim, que seja por mim então. Que tua alma seja minha, para que voce seja voce. Livre.*** sadico@uol.com.br

Todos os textos deste blog foram elaborados e escritos por Sádico ,contatos:

Todas as pinturas desse blog são de :

SALVADOR DALI

Carta à uma possível escrava...

Carta  à uma possível escrava...
Deixe-me externar algumas preocupações: 1 - Adoro a Internet, sem ela, pessoas como eu e voce poderiamos morrer sem encontrar nossos pares,nossos parceiros. No entanto, exatamente a sua eficiencia enquanto midia (a capacidade de reunirtodos com todos, a capacidade de transformar cada qual em um autor) a torna o veiculo mais fetichizado que eu tenho noticia, perto dela, até a rede globo parece santa.Por dentro da internet, o bdsm parece um joguinho de gato e rato comregrinhas definidas, as conversas seguem a mesma ladainha; 'o que eu gosto', 'quais os meus limites', 'o que voce gosta', perfilam-se ali alguns instrumentos, 'chicote?', 'velas?' e pronto, eis a cena montada, quem bate e quem apanha cada qual em seu lugar, comecemos todos a gozar, até que a vida nos separe.Pois bem, o bdsm é uma relação afetiva, tão complicada, tão labiríntica, tão contraditória, quanto qualquer outra, com uma diferença ainda: É a unica, com excessão do amorromantico, onde é possivel viver o amor com toda a sua intensidade.Até porque nada é mais parecido do que o amor romantico e o -masoquismo.Este tema é tratdo com alguma profundidade por uma masoquista neste artigohttp://www.desejosecreto.com.br/pagteoria32.html . Sob o ponto de vista de um sadico, as coisas são ainda mais claras; como bater em alguem que não se ama? Seria crueldade apenas, sem prazer para ninguem se istoocorresse. Como caminhar na franja estreita da conjunção entre a dor e o prazer, entre o consenso e a obediencia sem o conhecimento profundo do outro que só o amor permite?Se a menina do artigo tem razão, a escrava precisa amar oseu senhor, o avesso é tanto quanto, o senhor precisa amarsua escrava.Vai dai que as coisas ficam mais complexas, mais intrincadas,e mais belas. Vai dai que um passeio em um supermercado entre os doisamantes é portador de tanto gozo e carinho que não cabe no mundo. Porque o SM, menina, é capaz de erotizar o mundo.Só ele é capaz defazer isto. Isto tudo, se constroi com tempo, com paciencia, com cuidado, muito cuidado: se algum dia eu vier a te escravisar, será porque te amo, nem um minuto antes.- É apenas o começo da festa, se soubermos caminhar, sem correr e semparar, a aridez do percurso pode ser tão divertida como o oasis da chegada. PODEMOS CONVERSAR, SE VOCE CONCORDAR COM ESTES PRINCIPIOS....*** sadico@uol.com.br

Uma forma de amor?

Uma forma de amor?
Sim, o sadomasoquismo é uma forma de amor. A mais profunda maneira de amar. Um amor que sabe das diferenças, que sabe da alegria de ter o outro, e de ser de outro. Só vou te bater, porque te amo. Só vou te fazer sofrer porque te amo. Porque sei que o amor é profundo e eterno, e rima perfeitamente com dor. Só vou te bater porque sei que amar é sofrer, e fazer sofrer .*** sadico@uol.com.br

Sadomasoquismo e romantismo: a capacidade de erotizar o mundo.

Sadomasoquismo e romantismo: a capacidade  de erotizar o mundo.
Sabemos que a sexualidade humana é humana na medida em que nos afasta da função da reprodução, identificamos o prazer sexual com este afastamento, quanto menos animal mais prazer. Um tipo de afastamento que a sexualidade humana opera da procriação nos interessa particularmente: A capacidade de erotizar o planeta. Só os humanos podemos fazer isto, e apenas dois estilos de erotismo o fazem de maneira sistemática e consciente: o Romantismo e o Sadomasoquismo. Senão, vejamos. Quando o romântico recolhe no alto do morro uma flor para sua amada, empresta, àquela flor o poder de falar por seu amor. Quando a amada leva a flor consigo, a deposita dentro de um livro de cabeceira, olha lânguida para ela antes de dormir, imantou a flor com o seu amor, com o seu amado; ou ainda, recebeu e aceitou a simbologia que o amado inventou. O casal foi capaz de extravasar seu amor, seus desejos, seu erotismo para o resto do planeta, para os objetos, para qualquer objeto, roupas, presente de todos os tipos, o guardanapo do restaurante onde ele/a me disse.....tudo está a disposição e é utilizado para representar, expandir, re-significar o amor e o desejo do casal. Ao contrario do romantismo, no sadomasoquismo o uso de objetos variados é portador de um certo preconceito, principalmente pela falta de conhecimento de sua função, diga-se de passagem que por vezes o preconceito assalta inclusive aos praticantes do bdsm. Mas o que ocorre aqui é exatamente a mesma coisa que ocorre com o romantismo. Ao penetrar sua parceira com um objeto comprado em um sex-shop (eu particularmente prefiro adquirir estes brinquedinhos no supermercado da esquina), ao comprar e utilizar um chicotinho, ao utilizar lenços e ou cordas e ou fios para amarrar o parceiro. Vis a vis à pratica de ser amarrada/o, de apanhar com chicote ou palmatória, de ser penetrada por um socador de caipirinha. Ambos, senhor/a e escrava/o estão erotizando o planeta à sua volta, seus afetos, seus desejos, seu tezão agora se espalham pelos objetos da cena, da casa, do planeta. Uma/um boa/m escrava/o se excita ao entrar no supermercado onde buscou brinquedinhos com seu/sua dono/ a . Um senhor/a idem. Os amantes trocam olhares lascivos ao enxergar um destes objetos quando estão andando pela rua. Se isto não é visto assim, é graças à duas confusões teóricas encontradiças nas ciências humanas; na psicologia e na economia. Na psicologia se desenvolveu a noção de fetiche, advinda da psicanálise. Ocorre que este conceito quer dizer a substituição do objeto erótico pelo objeto, digamos, inanimado. Se eu gosto de calcinhas de mulher ao invés da mulher mesma, então estou fetichizando (a palavra vem de feitiço, ou seja imantar as coisas das propriedades que elas não tem). Vai daí que se confundiu a propriedade humana de humanizar o mundo, com a patologia de substituir o mundo humano pelo mundo das coisas. A economia política, com Marx, importou a mesma noção para denunciar a alienação da mercadoria, onde os homens passam a idolatrar os bens, outra vez, no lugar das pessoas. Com isto, infelizmente, perdemos a possibilidade de admirar este feito maravilhoso da consciência humana, a capacidade de abranger o mundo com nossos sentimentos, de emprestar às coisas o nosso modo de ver e de sentir. Por isto o romântico é ridicularizado e o sado-masoquista execrado quando usa objetos para demonstrar, simbolizar, mimetizar o seu amor, o seu desejo, o seu tesão. Mas se a consciência execra a pratica, o corpo a sacramente, as glândulas reagem, os mamilos apontam quando uma mulher romântica enxerga uma flor ressecada, ou quando uma escrava acaricia um chicote. Eis uma das boas razões pelas quais romantismo e sadomasoquismo são modos tão intensos de amar, tão apaixonantes, tão radicais: Ambos tem a propriedade de vestir o planeta com o seu amor, de colocar o mundo a serviço de seus sentimentos, de exercer com plenitude o que os humanos temos de mais humano.*** sadico@uol.com.br

0 que é sadomasoquismo?(1)

0 que é sadomasoquismo?(1)
Uma perversão. No final do século XIX, inicio do século XX, pensávamos que o sadomasoquismo fosse uma perversão, um desvio da sexualidade, produto e produtor de transtornos psicológicos/psiquiátricos. Até que Freud, com seus estudos sobre a sexualidade humana, veio a nos ensinar: Toda sexualidade humana é pervertida, ou melhor, a diferença entre a sexualidade humana e a sexualidade animal é que a nossa é pervertida. Declinemos com cuidado a afirmação acima, para isto será obrigatório perguntar sobre o que é perversão, e depois, o que é normalidade e por ultimo discutir um pouco sobre a sexualidade humana. Perversão é ‘um desvio de comportamento e das práticas sexuais normais’. Está claro aqui que o normal não pode ser o mais freqüente, o conceito de normal para a estatística, se assim fosse, a ausência de orgasmo na mulher até a alguns anos atrás seria normal, já que elas eram ensinadas a não ter prazer, hoje, não conheço as estatísticas, mas não me estranharia encontrar a ausência de felicidade erótica/sexual na maioria dos terráqueos. Não se pode imaginar que estamos falando do normal estatístico, portanto, até porque, se verá a seguir, a perversão é o normal neste sentido. Então, o que quer dizer ‘normal’? Quando se fala em desvio sexual, está se utilizando uma definição funcional de normalidade, no sentido, por exemplo, de um braço e uma perna que nasceu ‘anormal’, ou seja, uma mão que não tem os dedos, um pé que não se sustenta, não serve à função que deveria servir, para a qual existe. Para que a sexualidade existe? Para que a nossa espécie não se extinga, para a reprodução. Sexo anormal é o sexo que se afasta da procriação. Adotemos por ora esta definição, cônscios do seu caráter biologicista. Por ela, somos forçados pela evidencia a reconhecer que toda a sexualidade humana se afasta da normalidade, ou seja, é perversa. Afinal, se estivéssemos falando de procriação, pensando no exagero de 5 filhos por casal, ou por mulher já que é ela que pare os filhotes, e pensando que a cada 5 vezes que a copula ocorrer se terá uma boa probabilidade em media de engravidar-se, então faríamos algo como 20 ou 25 vezes sexo durante a nossa vida (!), no entanto, nos desenvolvemos enquanto sociedade no sentido de tornar o sexo livre da procriação, através de todos os métodos anticoncepcionais, ou seja, tornar o sexo livre de sua função biológica, ‘anti-natural’ poder-se-ia dizer. No plano do ato sexual estrito senso, tudo fazemos para que ele se afaste mais e mais da procriação, e consideramos o sexo satisfatório quando e somente quando se torna independente da procriação, nas preliminares (quando não como a própria finalidade dos gestos) nos utilizamos de sexo oral, colocar o sexo do parceiro na boca, caricias quanto mais longas melhor, iludimos o tempo para retardar o derramamento do esperma do macho no útero da fêmea, exatamente o que a biologia está a pedir. Flores, consolos, conversas a meia luz, jantares regados a vinho. Consideramos o sexo bom quando ele se afasta do biológico. Quanto mais perverso melhor. Passeie um minuto pelas fantasias humanas, e verá que tem apenas uma função: Divorciar o sexo da procriação, torna-lo cada vez mais perverso. Avalie a qualidade da relação sexual, em qualquer parâmetro, sob qualquer ótica. O sexo será considerado prazeroso quando, e somente quando, se afastar da procriação. O prazer que temos na sexualidade é o de expulsar o animal que carregamos dentro de nós. Por vezes uma mulher muito excitada gosta de se considerar uma ‘cadela’, nada mais longe da verdade, uma cadela não chupa seu macho, não permite que lhe penetre o rabo, não retarda o gozo até que ele exploda, humana, isto sim, estou tão tesuda quanto uma mulher, é o que devera ser dito por aquela mulher, ao contrario, estou tão frigida como uma cadela. Neste sentido, como se viu, a nossa infinita capacidade de perverter o sexo aparece com toda a sua força, passa a ser sinônimo de humanidade: O quão humano a tua sexualidade é? Depende do quanto é capaz de ser perversa. Agora é possível perceber: e o sadomasoquismo? Tão perverso quanto qualquer outro estilo, mesmo que seja o papai/mamãe. Mas com uma diferença: Não mente. O sadomasoquismo é um estilo de sexualidade que sabe da perversidade do humano e assume. O sadomasoquismo, ao contrario de tantos outros estilos, é uma sexualidade honesta. *** sadico@uol.com.br

O que é sadomasoquismo(2)

O que é sadomasoquismo(2)
Eu mando, você obedece. Simples não? Um é o senhor, manda, bate, humilha, tortura; e gosta disto tudo. O outro a escrava, obedece, apanha, se humilha, é torturado; também gosta disto tudo. Pronto, eis o esqueminha sadomasoquista pronto para uso (pret-a-porter). Nada mais tolo, mais ingênuo, mais perigoso do que imaginar que exista alguma coisa assim. Senão vejamos. A relação deve ser consensual, sabemos todos, senão se transforma em mera violência, em agressão. Isto quer dizer que o dominado deve querer e concordar e gostar do castigo que recebe, tanto quanto o dominador gosta, não é incomum, inclusive, que o dominado peça modos e maneiras de apanhar. Mas aqui está algo interessante: Se a escrava ou o escravo sente e diz –Por favor, me bata, e se gosta, goza com isto; então é o dominado que está dominando o dominador? Sim, o senhor está fazendo exatamente o que o escravo quer! O uso da força bruta, um revolver na cabeça de uma mulher e uma ordem: Chupa! Por exemplo, estabeleceria uma relação de dominação, de poder, de violência. Mas tal coisa é e deve ser abominada e abominável pelos praticantes do sm. O que queremos é o desejo mútuo, a vontade mutua, a cumplicidade. Ora, em sendo assim a relação senhor/escravo obedece a uma dialética que não tem nada de singela: O senhor domina a escrava que domina o senhor por ser dominada por ele, a escrava é dominada do modo como deseja, portanto é o senhor que se subordina às suas vontades. Subordinar-se pelo próprio desejo é um ato de soberania, talvez o maior que a consciência humana possa conhecer. Dominar porque o desejo alheio assim o deseja é ato de generosidade, de contrição. Punir a uma escrava é uma metáfora pueril. Bater nela? Mas é isto que ela quer! Isto promove a pratica, o jogo erótico entre alguns praticantes do sm do tipo: Eu finjo que errei, ele finge que se irrita, me castiga e nós dois gozamos. Na minha experiência com minhas escravas, cheguei à conclusão que a única maneira de puni-las é não bater. Com isto sim, ficam tristes e procuram não errar mais. Mas e então? Se desapareceu a aparente polarização entre o ‘eu bato e você apanha’, o que resta? Se não é a diferença de poder o que caracteriza o sadomasoquismo, o que é então? Está em algo mais profundo, mais essencial do que o teatrinho. Está na orientação do desejo. Alias é sempre ali que está a definição de qualquer sexualidade. O homossexual é quem deseja ao mesmo sexo, seu desejo é orientado para o semelhante (para si mesmo diria Freud). O sádico deseja o outro, o masoquista deseja o desejo do outro. Eis o que realmente ocorre nesta relação. Você será minha, será a satisfação de todos os meus quereres, quando te bato, o faço para te mostrar que o teu corpo me pertence, que teus gritos partem do meu tesão, quando te amarro, o faço para que saibas que o s teus movimentos são meus. Quando me ajoelho perante tuas vontades, é porque desejo que você me deseje, quero que me queiras, quando te obedeço quero que me queiras. Você deseja alguém? Quer a ela para si? Então você é sádico. Se gosta de spanking, pissing, etc, é um detalhe que o teu escravo vai resolvel. Você quer ser desejada/o? então você é masoquista. Fique à espreita, procure adivinhar o que teu dono quer, e faça! Saiba deseja o desejo dele, para ser desejada por ele. O resto são bobagens infantis, coisas para a sala de Chat da Internet. Na vida real, existe o amor. Queremos o amor, perseguimos o amor. Alguns querem o amor entre iguais, outros preferem o amor entre diferentes: Estes são sadomasoquistas***sadico@uol.com.br

Eros: amor e dor(1)

Eros: amor  e dor(1)
Saber bater é uma arte, saber apanhar também. Para quem vê,é bela uma bundinha vermelha, os poros dilatados, para quem sente, a pele quentinha, um pouquinho mais rugosa pelos tapas que levou, para quem apanhou, um ardor espalhado pela pele, o calor, tudo que toca parece maior,as mãos que acariciam parecem destacar o ardor, a caricia fica mais forte, mais intensa.Voce vestida, saia e blusa. Eu sentado e voce deitada com a bunda empinadinha no meu colo, a saia levantada, a calcinha abaixada um pouco acima dos joelhos; carícia,mãos e lingua acariciando tua bundinha. O primeiro tapa numa nadega, na outra, algo devagar, mas forte o suficientepara que doa um pouco, provoque em voce um gritinho de susto e dor...O ritmo, aumentando a força e diminuindo o tempo, até que voce grite de dor. Depois o dedão no teu cuzinho e o indicador na bucetinha, os dois dedos se encontrando dentro de voce, esfregando as duas paredes, da buecta e do cu, uma contra a outra. O tempo necessario para que tua bunda comece a ficar vermelha, um leve inchaço.Agora a caricia na pele vermelha, bem devagar, para que cada poro sinta a mão que bate e afaga. De repente, unhas cravadas passeando pela bunda, o ardor maior que o ardor de antes, o susto, a dor. Hora de começar a apanhar de novo, ritmado, forte.Outra vez os dedos passeando e se encontrando dentro de voce, até que voce goze, com os dedos, com a dor.A festa está perto do fim. O anuncio: - Serão 10 tapas, 5 em cada nádega. Voce deve contar. Serão fortes, muito fortes. - E voce conta: 1 (a força te surpreende, voce grita,ameaça chorar), demora a dizer 2.Percebe que depois do susto veio o prazer da dor, e conta mais rapido, 3,4,5. Uma nadega lateja, vermelha, quase roxa, do jeito que eu gosto. A outra nadega espera as mesmas caricias, agora voce tem pressa: 1,2,3,4,5. Voce chora, goza, reclama, pede mais, usa as mãos para impedir as minhas de te alcançar, teu prazer é indisfarçável, tua dor também.Agora meu bem, empine bem a bundinha vermelha, voce vai tomar no cú.*** sadico@uol.com.br

Eros: amor e dor (2)

Eros: amor e dor (2)
há poesia na dor, é belo provocar dor, mas é muito mais belo gozar com a dor. gozar pelo ato de pertencer, e não há modo melhor de pertencer do que entregar para quem se ama a propria dor. Por isto uma masoquista é uma mulher bela, bela e forte, poderosa em sua abnegação. Um zunido corta o ar quando meu chicote desce pesado sobre teu corpo. Um ardor sempre desagradavel no inicio; depois o prazer, um ardor que te excita, que te faz pedir mais. Teu gozo é mais fundo, mais denso, porque vem da dor de me pertencer. A melhor dor é a que te dá prazer, de preferencia que te faça gozar, a melhor dor é a que teu amor de dá de presente, com devoção. È quando ele te faz sofrer porque voce gosta e goza. Te propiciar a melhor dor é a melhor maneira de te amar.*** sadico@uol.com.br

Limites...

Limites...
A questão dos limites em uma relação sm é cheia de artimanhas, armadilhas, enovelada que só. Por isto deve ser tratada com cuidado.Em primeiro lugar, sem que os limites sejam explicitados e exercidos plenamente, uma relação sm desaparece, já que desaparece o seu carater consensual, sem isto, sabemos, poderiamos estar falando de crueldade, psicopatia, bandidagem, mas menos de sado-masoquismo, o que caracteriza este modo de exercer a sexualidade é a liberdade, que se traduz no amplo e consciente consentimento.Só que a questão dos limites carrega um ardil. É um lugar onde o escravo domina solitário, ou melhor, um lugar onde o subordinado domina. A/O escrava/o tem a palvra definitiva: 'Não quero e ponto final'. Acontece que a escrava nao quer dominar, quer ser dominada, não quer mandar, quer obedecer. Vai dai que a pobre escrava se encontra em palpos de aranha. e acaba encontrando estratagemas perigosos de lidar com esta contradição.Algumas dizem 'nao tenho limites, faço o que o meu senhor mandar'. É claro que é mentira; uma mentira que a escrava 'prega' para si mesma, no afã de obedecer, de agradar ao senhor, de ser o que quer ser, uma boa escrava. vai dai que a relação, que deveria ser prazeirosa, se transforma em um martirio para a escrava, e portanto, desinteressante para o senhor, ja que o que quer o senhor é dar prazer para sua escrava.Outras dizem; 'tenho limites, então nao posso servir a este senhor'. Ao fazer isto realizam um ardil interessante, 'eu me coloco na posição de submissa, e isto é tão forte que me impede de me submeter'. Ora, jogou-se a criança junto com a agua suja do banho, ao buscar a submissão perfeita, a escrava termina solitária, e o senhor sem poder usufruir de uma boa escrava, que bela vantagem!!!!!!!!!!Tudo se resolveria se dois axiomas fossem respeitados.Axioma numero 1: A escrava, a boa escrava, domina o senhor tanto quanto é dominada por ele, ao se submeter domina. O senhor, vis a vis, porque domina, é dominado. Facil de falar, deficil de viver.Axioma numero 2: LImites devem ser revelados e trabalhados pela dupla sm. Alguns devem ser explicitados para serer superados, outros devem ser simplesmente declarados e pronto. Quais limites existem para serem superados? Os que são essenciais para o prazer do senhor. Quais devem ser respeitados sem mudança? Os que implicam em dano fisico ou moral para o escravo (por exemplo, provocam sequelas fisicas).Afinal, queremos todos ser felizes, não? *** sadico@uol.com.br

Amar vc...

Amar vc...
Como bater em alguem que não se ama? Seria crueldade apenas, sem prazer para ninguem se isto ocorresse. Como caminhar na franja estreita da conjunção entre a dor e o prazer, entre o consenso e a obediencia sem o conhecimento profundo do outro que só o amor permite? a escrava precisa amar o seu senhor, o avesso é tanto quanto, o senhor precisa amar sua escrava. Vai dai que as coisas ficam mais complexas, mais intrincadas, e mais belas. Vai dai que um passeio em um supermercado entre os dois amantes é portador de tanto gozo e carinho que não cabe no mundo. Porque o SM, menina, é capaz de erotizar o mundo. Só ele é capaz defazer isto. Isto tudo, se constroi com tempo, com paciencia, com cuidado, muito cuidado: se algum dia eu vier a te escravisar, será porque te amo, nem um minuto antes. ***sadico@uol.com.br

Está com medo...

Está  com medo...
Tá com medo? Voce tem medo. Teus olhos falam, tuas pernas bambas atestam, o senho franze. Mas porque este medo te umedece as entranhas? porque te excita, porque te deixa esbaforida de tezão?É que não é o medo da dor que vai sentir, esta te dá prazer, não te assusta. Não é o medo de pertencer, por que agora voce não é mais tua, é minha, ninguem tem medo do consumado.O medo que voce sente é o medo de voce. De uma mulher que existe desde sempre dentro de voce, e que voce nunca viu, nunca viveu. Por isto teu medo é cheio de tezão.Vem menina, vamos passear por dentro de voce, vamos buscar voce dentro de voce.Quando o tezão for grande, goze com tua descoberta de voce mesmo, goze quando souber que voce é bela.Quando o medo for grande, segure a minha mão***. sadico@uol.com.br

minha cadela...

minha cadela...
Voce não tem anus, tem cuzinho.Não tem vagina, tem buceta.Não tem seios, tem tetas.Não é possuida, é fodida.Não faz sexo anal, voce toma no cú.O importante meu bem, é que voce não tenha a minima vergonha na cara.Que seja minha puta, minha cadela.*** sadico@uol.com.br

Dia internacional da mulher...

Dia internacional da mulher...
8 de março Este é um texto que enviei para minhas escravas, mas pertence a todas as escravas. Nestes tempos bicudos é dificil para um ser humano se orgulhar de sua propria espécie. Mas existe sim, coisas da qual podemos e devemos nos orgulhar. Nos ultimos anos, avançamos muitos, em alguns lugares ou momentos, conquistamos totalmente os direitos da mulher. A luta pela liberdade e igualdade das mulheres e os direitos conquistados por elas são sim, motivo de orgulho para toda a humanidade, neste nosso recente passado.E a escrava é a mulher, a melhor mulher, porque é mais corajosa, mais forte, mais sábia e mais bela.Mais corajosa porque soube enfrentar seus medos e conquistar seus desejos.Mais forte porque soube pertencer.Mais sábia porque sabe que pertencer é um modo íntegro de ser.Mais bela porque soube acordar a femea que em outras mulheres ainda dorme.Por isso a escrava é a mulher em toda a sua força, em toda o seu poder, em toda a sua exuberancia. Por que a escrava é uma mulher libertada, uma mulher livre para encontrar a si mesma. Dia 8 de março é o dia da mulher, da luta das mulheres por sua liberdade, dia para celebrar acima de tudo, a escrava. Feliz 8 de março.*** sadico@uol.com.br

Os 10 mandamentos da escrava perfeita

Os 10 mandamentos da escrava perfeita
Continência: Esteja sempre disponivel para quando eu quiser, para o que eu quiser. 2. Bater é bom, mas só se voce gostar de apanhar, aprenda a gozar enquanto apanha. 3. Ame a dor, mas exija que seja apenas a outra face do prazer, nunca sofra sem gozar. 4. Reverencia; beijar os pés de teu dono é apenas uma delas, invente outras, exercite todas. 5. Te quero uma putinha, uma cadela sempre no cio, sempre pronta para sexo, sempre querendo mais. sempre querendo de todos os jeitos, gozando por todos os poros. 6. Ame teu dono, permita que ele te ame.7. Nunca perca a dignidade e o respeito por si mesma, só os fortes sabem e podem pertencer. 8. Ame a voce mesma, voce deve ser minha por que quer, e para querer é preciso gostar de si. 9. Abra a tua alma para o dominio do teu dono, dominar um corpo não basta para um senhor. 10. Ao ser do teu dono, voce será livre para ser voce mesma, nunca abra mão de ser feliz. Uma escrava deve e merece ser feliz.*** sadico@uol.com.br

Pior cantada SM...

Pior cantada SM...
A pior cantada no bdsm. É comum se ler nos chats, algo parecido com... 'Vem aqui sua puta que eu vou te arrebentar...'O imbecil consegue cometer dois enganos ao mesmo tempo.Em primeiro lugar confunde dominação com grosseria. Um dominador de verdade sabe que ter o outro sobre controle exige doçura, gentileza, carinho, cuidado.Em segundo lugar confunde sadismo com violencia. O verdadeiro sádico sabe que estamos falando de um amor profundo, radical, verdadeiro, onde não cabe a violencia.Enfim, mesmo no BDSM, a mais sofisticada forma de amar, ainda se encontram milhóes de imbecis.*** sadico@uol.com.br

Minha mão, minha escrava....Minha escrava, minha mão...

Minha mão, minha escrava....Minha escrava, minha mão...
Foi Assim que ela sentiu...dedilhou com os dedos ainda com a pele quente, sentindo tua mão gravada nela. Me fez amolecer de novo. Abrir. Mandou eu pegar o Ky e abriu a mão para eu passar nela. Melei tua mão com ele, deitei do teu lado e me abri para te receber dentro. Aquele pavor e desejo ao mesmo tempo. Mas aqui és Dono de tudo. És o Rei que vem de longe para tomar posse do que é teu. Foi colocando dois dedos...bolinando meu grelo, bolinando tudo, e senti você colocando os outros, senti colocar cada um deles e começar a forçar, forçar, forçar mais, eu (?), nessas horas já não sou, já não me sinto de tanto sentir...tua força entrando segue expulsando minha razão....a dor faz concentrar o mundo...meu mudo ali na tua mão, em volta dela, envolta de mim...a dor faz deixar tudo...faz esquecer...suspender..para só ser...ser tua no que há de mais essencial, me faço tua busca, sabedores de ser o essencial, invisível aos olhos, como diria nosso pequeno príncipe, indo buscar meu poço escondido nas profundezas da minha carne...eu estava com sêde disso e sentia a tua também...tua mão ia me abrindo e eu sentia já tudo esticado, não conseguia mais, a dor também me deixa com a carne tesa....até que lembro, lembrei de respirar...e relaxei um pouco os músculos, eu acho, porque logo senti tua mão entrando mais e mais...apertar fazia doer mais e relaxar te deixava entrar mais...me ouvia gemendo, arfando, doendo, você mandou eu relaxar, soltar...queria deixar mas já me estava muito forte...queria empurrar você dentro de vez e ao mesmo tempo queria sair da tua mão...afastei um pouco o corpo, mas não me deixou sair...veio junto e segurou...fiquei...tentei relaxar tudo q podia e então acho q entrou, não sei, não sei quanto entrou...sei q quando comecei a me acostumar um pouquinho senti você mexer...dentro...me deixa louca com isso...me deixa confusamente incoerente por dentro...a dor...a reação é repulsa...é sair...mas eu estava querendo ficar...a dor dói, mas o prazer é grande demais também. Me dar p ti e te ter ao me dar....e me ter de novo, de volta, nem sei se de volta, não sei de onde, mas livre...até que não aguentei mais, voltei rapidamente para tudo pela dor tb... todaDELE ******************************* postado por: sadico@uol.com.br

Pensamentos em frases de: Sádico Domina-DOR

Pensamentos em frases de: Sádico Domina-DOR
***O SADOMASOQUISMO É UM AMOR RADICAL, É UMA RELAÇÃO QUE SABE DAS DIFERENÇAS E GOSTA DELAS.
***AMOR E DOR SEMPRE RIMARAM, O SADOMASOQUISMO SABE DA PROXIMIDADE ENTRE AMAR E DOER. POR ISTO É UMA RELAÇÃO TÃO PROFUNDA, POR ISTO ASSUSTA.
***O MEDO DO SADOMASOQUISMO É O MEDO DO QUE ESTA RELAÇÃO TEM DE MELHOR.
***UMA ESCRAVA SABE QUE, AO SE TORNAR OBJETO DE SEU DONO, SE TORNA SUJEITO DE SEU AMOR.***